Música como remédio? teste
Notícias
Música como remédio?

Responda rápido: Quantas vezes por dia você tem recorrido à música para se sentir melhor nesse momento em que estamos sendo invadidos por notícias que nos deixam tensos e ansiosos?

 

 

A verdade é que muita gente vem procurando a Arte como forma de se entender melhor, permanecer calma e, assim, manter o foco e melhorar a saúde mental. E, claro, a música tem um papel fundamental nesse processo. Concorda?

 

Pois você sabia que a sensação de bem-estar que você consegue com a música tem sido estudada por alguns pesquisadores? Esse é exatamente o foco de um trabalho recente da Academia Britânica de Terapia do Som (British Academy of Sound Therapy - BAST), que mediu o tempo de música que um indivíduo precisa ouvir para obter um determinado efeito terapêutico.

 

Intitulado “MUSIC AS MEDICINE” (que pode ser traduzido para “música como remédio”), o estudo foi feito pela autora e pesquisadora Lyz Cooper, em parceria com a Deezer, e testou 7.581 participantes para descobrir a quantidade diária de música recomendada para vários estados de humor, investigando também como isso afetava as pessoas e que tipos de música eram comumente usados para isso.

 

Quer saber como podemos conseguir isso com mais assertividade, segundo o estudo? Vamos lá:

 

 

Música para relaxar

A melhor música para relaxar teve um ritmo lento, melodia simples e sem letra. O tempo ideal para ouvir foi de 13 minutos. As pessoas que participaram do projeto relataram benefícios positivos, incluindo diminuição da tensão muscular, desaparecimento de pensamentos negativos, sensação de paz e satisfação e capacidade de dormir melhor. Então, da próxima vez que você estiver estressado, que tal mergulhar em 13 minutos de sua música erudita preferida?

 

Música para a Felicidade

A receita aqui são 9 minutos de música com ritmo rápido e conteúdo lírico feliz. As “cobaias” do teste relataram que ficaram mais felizes, tinham mais energia, se sentiram satisfeitas com a vida e riram mais. Isso afetou o fato de serem mais positivas em relação aos outros, sendo que 82% delas se sentiram mais no controle de suas vidas!

 

Música para Concentração

Embora menos pessoas usassem a música para concentração geral, as que usavam experimentavam altas porcentagens de efeitos positivos. Após 13 minutos de música, nossos participantes do teste relataram que suas mentes ficaram mais claras, que estavam mais aptos a realizar seu trabalho e que podiam tomar decisões com mais facilidade.

 

Música para processar ou acabar com a tristeza

Para tristeza, o estudo determinou que a maioria das pessoas escolheu músicas com letras com as quais se conectavam, processando seus sentimentos com a escuta de, pelo menos, 13 minutos dessas composições. Fazendo isso, elas se sentiam menos sobrecarregadas, mais estáveis e menos propensas a focar em seus problemas.

 

 

Curiosidades à parte, o IEM sempre apostou na música como uma ferramenta fundamental da educação humana e acredita em seu poder transformador. Na verdade, toda a família IEM percebe essa transformação no dia a dia de seus alunos, assim que são tocados pelo universo musical apresentado (e escolhido com bastante critério) por nossos educadores, com o intuito de contribuir com cada fase de suas vidas. Então, esse é um processo contínuo e que deve integrar a educação de todos dentro de casa, nas ecolas e ao longo da vida. Dessa maneira a música pode contribuir, junto com  o teatro, a literatura, o cinema, as artes visuais etc., para a construção de novos valores, para a produção de conhecimentos comuns, para a compreensão do mundo e seus desafios, e para a proposição de práticas cidadãs dos mais variados tipos.

 

E você? O que acha de tudo isso?

 

Mais uma curiosidade:

Antes de promover essa pesquisa, Lyz Cooper, fundadora do BAST, colaborou com o trio de música ambiente Marconi Union. Juntos eles produziram uma composição de oito minutos intitulada ‘Weightless’, criada para relaxar o ouvinte através do seu ritmo – que começa em 60 batimentos por minuto e diminui gradualmente para cerca de 50, o que significa que o batimento cardíaco do ouvinte diminuiria naturalmente para corresponder ao BPM (batimentos por minuto) da faixa. Para escutar ‘Weightless’, clique aqui.

 

Quer mais?

 

Neste momento de quarentena o IEM se faz presente em suas mídias sociais, enviando dicas de atividades lúdicas e educativas que procurem motivar, instigar e oferecer novas visões de mundo através da música:

 

>> Leia, entrando aqui, a matéria que publicamos com dicas para você estudar música em casa, durante a quarentena.

>> Confira neste link a relação de brincadeiras que separamos para nossas crianças curtirem em casa.

>> E aqui, uma relação de filmes sobre o unierso da música!

 

Novidades surgirão. E estaremos aqui para divulgá-las. Para se comunicar com o IEM, escreva para iem@musicaiem.com.br. Só não esqueça de conferir também os cursos que o IEM oferece, para estudarmos juntos também!

 

Nós vamos fazer música!